Perguntas mais frequentes (FAQs)

Procurar pergunta




Apoio ao cliente a toda hora

Base de dados de conhecimento

Para além do serviço de apoio técnico (p. ex. via chat), pode encontrar na nossa página de Internet material de apoio que pode ser útil para os seus trabalhos com o software Dlubal.

Newsletter

Receba regularmente informação sobre novidades, dicas úteis, eventos planeados, ofertas especiais e vales.

  • Resposta

    As secções que não estão contidas na biblioteca de secções podem ser introduzidas no RFEM / RSTAB de duas formas.

    1º Programas de secções SHAPE-THIN e SHAPE-MASSIVE

    As secções definidas pelo utilizador podem ser criadas com os programas de secções SHAPE-THIN ou SHAPE-MASSIVE. Os perfis SHAPE-THIN ou SHAPE-MASSIVE podem ser importados através da biblioteca de secções. Para o fazer, clique em "Importar secção do programa SHAPE-THIN" ou "Importar secção do programa FORMA MAIS" na caixa de diálogo "Nova secção" (Figura 1). Nesta caixa de diálogo, pode selecionar e importar a secção desejada. Tenha em atenção que as secções devem ser calculadas e armazenadas em SHAPE-THIN ou SHAPE-MASSIVE antes de os valores da secção poderem ser importados. Só é possível importar cada secção individualmente.

    2º Criar secção definida pelo utilizador no RFEM / RSTAB
    Se são conhecidos os valores da secção do fabricante, estes podem ser criados na base de dados de secção do RFEM através da opção "Criar nova secção definida pelo utilizador" (Figura 2). Ao contrário das secções criadas com o SHAPE-THIN ou o SHAPE-MASSIVE, estas secções definidas pelo utilizador não podem ser dimensionadas em módulos adicionais tais como o RF- / STEEL EC3, porque os dados necessários para o dimensionamento, como partes c / t, está em falta.

    Para aceder aos perfis definidos pelo utilizador, clique na secção "Carregar secções definidas pelo utilizador definidas pelo utilizador" na biblioteca de secções (Figura 3).

    As secções definidas pelo utilizador são armazenadas independentes de posições cruzadas no ficheiro EigProf.dat. Mesmo com um salto de versão (por exemplo, de X.19.XXXX para X.20.XXXX), estas secções são importadas. O local de armazenamento da biblioteca de secções definida pelo utilizador pode ser determinado com as opções do programa (Figura 4). É possível copiar um banco de dados de perfis definido pelo usuário já criado em um centro de trabalho e colá-lo no respectivo diretório do outro centro de trabalho. Os perfis definidos pelo utilizador estão assim disponíveis também na outra estação de trabalho sem ter de os importar novamente.
  • Resposta

    É possível que a base de dados de perfis definida pelo utilizador, EigProf.dat, esteja em falta no seu computador ou esteja danificada. Por favor, abra o separador "Directorias de dados" das opções do programa e selecione a categoria "Biblioteca de secções definida pelo utilizador".

    Abra o diretório exibido e verifique se o arquivo EigProf.dat está disponível. Se o ficheiro estiver disponível, por favor mude o nome.

     

    Se o caminho incluindo o ficheiro não corresponder ao caminho predefinido para o RFEM 5.20 "C: \ Dados do programa \ Dlubal \ RFEM 5.20 \ Dados gerais \ EigProf.dat" nas opções do programa, defina este caminho predefinido nas opções do programa.

  • Resposta

    Sim, o problema também pode ser causado pelo RFEM. A pré-visualização dos ficheiros do RFEM no Windows Explorer pode fazer com que o Explorer reaja mais lentamente.

    Para uma possível solução, proceda da seguinte forma:

    Em C: \ Programas \ Ficheiros comuns \ Dlubal, abra o ficheiro ThmShellEx64.dll no BACKUP-ThmShellEx64.dll mudar o nome

    Ou, para 32 Bit em C: \ Programas (x86) \ Arquivos comuns \ Dlubal, mudenome do ficheiro ThmShellEx.dll para BACKUP-ThmShellEx.dll

    Depois, é necessário reiniciar o PC

  • Resposta

    Os dados de uma estrutura do RFEM estão embalados e embalados por defeito. Se este processo de compactação for interrompido ou perturbado por outro software, pode ocorrer um arquivo defeituoso.

    Pode carregar o seu ficheiro RFEM / RSTAB através do nosso website e tentaremos guardar os dados. Por favor, veja o link abaixo.

    Para evitar este problema no futuro, guarde os ficheiros muito grandes localmente no seu PC e, em seguida, desloque-os para um caminho de rede, se necessário.
    Preste atenção às configurações corretas em seu software antivírus, pois elas também podem causar problemas ao ler e gravar dados.


  • Resposta

    Dependendo dos requisitos geométricos dos tijolos, estes estão integrados nos grupos 1 - 4. Todas as exigências geométricas para os grupos de tijolos são listadas na terceira EN 1996-1-1, Tabela 3.1. Um exemplo de atribuição dos grupos de acordo com a percentagem total do furo (% do volume bruto) para tijolos é o seguinte:

    Grupo 1 (todas as pedras)
    ≤ 25

    Grupo 2
    relação de buracos verticais> 25; ≤ 55

    Grupo 3
    relação de furo vertical ≥ 25; ≤ 70

    Grupo 4
    relação de furo horizontal> 25; ≤ 70


  • Resposta

    A ligação de fio de extremidade é aplicada quando os tijolos de uma parede não são colocados numa tira de argamassa, mas sim sobre dois. Aplique a argamassa nas arestas exteriores das superfícies de apoio dos tijolos. Utilizando ligações de bandas de borda, é necessário aplicar restrições no estado limite último, porque ocorrem gradientes desfavoráveis de tensões na parede.

    A aplicação do Anexo Nacional rege-se pela questão de saber se pode aplicar a faixa de fronteira em um país europeu. A construção de alvenaria por cimentação de faixa de borda está excluída no anexo nacional alemão. Por este motivo, as juntas de fundação na Alemanha devem ser sempre colocadas sobre toda a superfície.


  • Resposta

    Sim, isto é possível com um esquema de combinação. Com ele, você pode criar modelos definidos pelo usuário.

    A caixa de diálogo Esquema de combinação pode ser acedida através do menu "Ferramentas". Um esquema definido pode ser utilizado como modelo para os seus dados de carga. Você pode criar um esquema de combinação em qualquer modelo e acessá-lo a partir de qualquer modelo.

    Num esquema de combinações, especifica os casos de carga, as combinações de carga e resultados a serem criados com os dados relevantes da chave e as configurações básicas. Além do número de LCs, LCs e RCs, também pode definir os fatores e o tipo de sobreposição num esquema de combinações.

    Em seguida, quando criar um novo modelo, pode aceder rapidamente a estas configurações de forma a ter apenas de introduzir o conteúdo dos casos de carga (cargas de barras, etc.). Se já criou vários esquemas, pode selecionar um deles a partir da lista pendente.

    Clique no botão [Novo esquema] para criar outro esquema de combinação. Ao fazê-lo, pode copiar os casos de carga e combinações existentes do modelo atual.

    O botão [Criar casos de carga, combinações de carga e combinações de resultados definidas nas tabelas] transfere o esquema de combinação atual para o modelo.

    Os diagramas de combinações também podem ser exportados para o Excel e reimportados.

    Os diagramas de combinações definidos pelo utilizador são armazenados no ficheiro KombinSchema.dat, que se encontra na pasta de dados principal "C: \ ProgramData \ Dlubal \ Global \ Root File" por defeito. Se copiar este ficheiro para outro computador, também pode utilizar os diagramas de combinação.
  • Resposta

    Esta secção é uma secção I parametrizada. Pode ser introduzido na biblioteca de secções. Além das secções paramétricas de parede fina (ver Figura 1), para as quais é geralmente necessária informação sobre a soldadura, as secções parametrizadas estão orientadas para as secções laminadas.

    A parametrização é possível para algumas das secções laminadas (ver Figura 2). Isto permite definir, p.ex. parâmetros para o raio do gradil, a espessura do banzo e a espessura da alma. Para evitar a abertura da interface gráfica do utilizador dos parâmetros da secção no caso de alterações, também é possível ajustar as dimensões da secção diretamente na caixa de texto da secção. Se foi efetuada uma alteração, a secção é atualizada imediatamente em segundo plano.
  • Resposta

    Para estruturas de placas leves, existe um grande número de membranas técnicas.


    • Tecido de poliéster (PES) revestido com cloreto de polivinilo (PVC) → PES / PVC
    • Revestimento de poliéster coberto com cloreto de polivinilo (PVC)
    • Tecido de vidro → Vidro / PTFE revestido com politetrafluoroetileno (PTFE)
    • Tecido de poliéster revestido com poliolefina (PES)
    • Tecido de poliéster revestido com fluoroplástico (PES)
    • Tecido de vidro revestido com silicone
    • Tecidos de malha abertos e fechados
    • Tecidos não revestidos e naturais
    • Filmes de etileno-tetrafluoroetileno → ETFE
    Dependendo das várias propriedades, o RFEM seleciona estes materiais para o respetivo projeto para cada tarefa estrutural. No que diz respeito à análise estrutural, todos os produtos têm diferentes propriedades de desgaste, algumas das quais podem variar em cada lote de produção.

    No RFEM, tem de introduzir estes valores diferentes na tabela de materiais 1.3 em conjunto com um modelo de material adequado.

    Existem modelos de modelo para o uso recorrente de materiais em diferentes modelos. Pode utilizar qualquer lista de materiais de membrana especificados 

    Na maioria dos casos, os materiais de membrana consistem sempre numa interacção de valores de material sólido e numa lei material. Uma vez que a biblioteca de materiais existente apenas organiza os materiais com a lei material "Isotrópico Linear Elástico", esta base de dados não é aplicável para materiais de membranas ortotrópicas.


  • Resposta

    O tempo de processamento pode ser eliminado no histórico do modelo. Para fazer isso, selecione o modelo correspondente no gerenciador de projetos e selecione o comando "Histórico" no menu de contexto. Em seguida, clique no botão "Eliminar" na janela "Histórico do modelo" e confirme com "OK" (ver Figura 1). Além do tempo de processamento, o RFEM elimina também as informações criadas, criadas por, alteradas e alteradas.

1 - 10 de 32

Contacto

Contacto da Dlubal

Encontrou a sua pergunta? Se não for o caso, entre em contacto connosco por e-mail, chat ou no fórum de discussão, ou então envie-nos a sua questão através do formulário online.

+49 9673 9203 0

(falamos português)

info@dlubal.com

Primeiros passos

first-steps

Aqui damos-lhe algumas dicas e informações úteis que o ajudam a familiarizar-se mais rapidamente com os programas principais RFEM e RSTAB.

O vosso apoio técnico é de longe o melhor

“Muito obrigado por toda a informação.

Gostaria de elogiar a equipa de apoio ao cliente. Fico sempre surpreendido com a rapidez e o profissionalismo com que as questões são respondidas. Na área da análise de estruturas, utilizo vários softwares inclusive com contratos de assistência, mas o vosso apoio técnico é de longe o melhor.”