Perguntas mais frequentes (FAQs)

Procurar pergunta




Apoio ao cliente a toda hora

Base de dados de conhecimento

Para além do serviço de apoio técnico (p. ex. via chat), pode encontrar na nossa página de Internet material de apoio que pode ser útil para os seus trabalhos com o software Dlubal.

Newsletter

Receba regularmente informação sobre novidades, dicas úteis, eventos planeados, ofertas especiais e vales.

  • Resposta

    Sim, isso é possível.


    Em primeiro lugar, o RF-STABILITY (ou RSBUCK no RSTAB 8) pode ser utilizado para determinar os comprimentos efetivos para uma estrutura e carregamento particulares.



    Em seguida, podem ser importados em 'Comprimento efetivo' da caixa de diálogo do RF-/TIMBER Pro.

  • Resposta

    Pode exportar os comprimentos efetivos do módulo adicional para o EXCEL ou importá-lo do EXCEL, como mostra a Figura 1.
  • Resposta

    A forma mais fácil de o fazer é através dos módulos adicionais RSBUCK (RSTAB) ou RF-STABILITY (RFEM).

    O RSBUCK e o RF-STABILITY realizam uma análise de valores próprios para o modelo completo com um determinado estado de força normal. As forças axiais são aumentadas iterativamente até ser alcançado o caso de carga crítica. Esta carga de estabilidade é caracterizada no cálculo numérico pelo determinante da matriz de rigidez tornando-se zero.

    Se o coeficiente de carga crítico é conhecido, a carga de encurvadura e o modo de encurvadura são determinados a partir daqui. Os comprimentos efetivos e os fatores de comprimento efetivo são determinados para esta menor carga de encurvadura.

    O resultado mostra, dependendo do número necessário de valores próprios, os coeficientes de carga críticos com as respetivas formas de encurvadura e, para cada barra, cada encurvadura que forma um comprimento de encurvadura entre os eixos forte e secundário.

    Uma vez que, geralmente, cada caso de carga tem um estado de força normal diferente nos elementos, resulta um comprimento correspondente separado para os resultados do pilar de pórtico para cada situação de carga. O comprimento efetivo para o dimensionamento da respetiva situação de carga é o comprimento efetivo para o comprimento de encurvadura cujo modo de encurvadura provoca a encurvadura do pilar no plano correspondente.

    Uma vez que este resultado pode ser diferente para cada análise devido às diferentes situações de carga, o comprimento efetivo mais longo de todas as análises calculadas para um dimensionamento é assumido para todas as situações de carga igualmente para o dimensionamento - no lado da segurança.

    Exemplo de cálculo manual e RSBUCK / RF-STABILITY
    É fornecida uma moldura 2D com uma largura de 12 m, uma altura de 7,5 m e suportes fixos. A seção transversal do pilar corresponde a I240 e a trava do chassi a um IPE 270. Os pilares são carregados com duas cargas concentradas diferentes.

    l = 12 m
    h = 7,5 m
    E = 21.000 kN / cm²
    Ei, R = 5790 cm 4
    Ei, S = 4250 cm 4

    N L = 75 kN
    N R = 50 kN

    $EI_R=E\ast Iy_R=12159\;kNm^2$
    $EI_S=E\ast Iy_S=8925\;kNm^2$

    $\nu=\frac2{{\displaystyle\frac{l\ast EI_S}{h\ast EI_R}}+2}=0.63$

    O resultado é o seguinte fator de carga crítica:

    $\eta_{Ki}=\frac{6\ast\nu}{(0.216\ast\nu^2+1)\ast(N_L+N_R)}\ast\frac{EI_S}{h^2}=4.4194$

    Os comprimentos efetivos das colunas do pórtico podem ser determinados da seguinte forma:

    $sk_L=\pi\ast\sqrt{\frac{EI_S}{\eta_{Ki}\ast N_L}}=16.302\;m$

    $sk_R=\pi\ast\sqrt{\frac{EI_S}{\eta_{Ki}\ast N_R}}=19.966\;m$

    Os resultados do cálculo manual correspondem muito bem aos do RSBUCK ou RF-STABILITY.

    RSBUCK
    $\eta_{Ki}=4.408$
    $sk_L=16.322\;m$
    $sk_R=19.991\;m$

    RF-STABILITY
    $\eta_{Ki}=4.408$
    $sk_L=16.324\;m$
    $sk_R=19.993\;m$
  • Resposta

    RSBUCK / RF-STABILITY calcula pelo menos um factor de carga crítico ou uma carga crítica e uma forma de encurvadura atribuída. O comprimento efetivo é então calculado de volta a partir da carga crítica (ver aqui ). Uma vez que esta análise não é realizada para componentes locais individuais, mas apenas para a estrutura completa, os fatores de resumo de carga resultantes referem-se à estrutura global e não aos elementos locais. No entanto, pode acontecer que a estrutura falhe globalmente para alguns fatores de ramificação de carga (mas também falha localmente (dependendo da rigidez e do estado de força axial).

    Portanto, os comprimentos efetivos calculados devem ser utilizados apenas pelas barras que entortam no respectivo modo de encurvadura. No caso da falha global de uma estrutura (ver exemplo Figura 1), é assim difícil tirar conclusões sobre o comportamento de encurvadura de barras individuais.

    A Figura 2 mostra uma estrutura onde as colunas traseiras se entortam. Portanto, é recomendado usar apenas os comprimentos efetivos calculados para as duas colunas.

    Novamente, em geral: Os comprimentos de encurvadura do módulo RSBUCK são válidos unicamente para um componente estrutural na respectiva direção se a forma de encurvadura afim claramente "protuberância" da barra em relação à outra na respectiva direção. É claro que as forças axiais também tem um impacto nos resultados aqui.

  • Resposta

    Desde o RSTAB8 / RFEM5, pode especificar os coeficientes de comprimento efetivo que serão adotados quando inicia os módulos adicionais.

    Se aparecer a mensagem acima, a entrada dos coeficientes numa versão antiga foi definida como 0 e devido a esta definição incompleta da barra, não é possível efetuar cálculos no programa principal.
    Para corrigir isto, introduza um valor> 0
    Se os coeficientes do comprimento efetivo não forem significativos, selecione toda a estrutura, abra a caixa de diálogo "Editar barra" e redefina os coeficientes para o valor padrão 1,0 na guia "Comprimento efetivo".

  • Resposta

    RSKNICK e RF-STABIL executam uma análise de autovalor no modelo geral com um determinado estado de força normal. Como resultado, dependendo do número necessário de autovalores, os fatores de carga crítica são emitidos com os números de flambagem associados e para cada barra para cada autogêneo, um comprimento de flambagem em torno do eixo forte e fraco.

    Como geralmente cada caso de carga tem um estado de força normal diferente nos elementos, um resultado de comprimento de flambagem associado separado resulta para o suporte de quadro para cada situação de carga. O comprimento de flambagem, em cuja figura de flambagem o suporte se curva no plano da estrutura, é o comprimento correto para a prova da respectiva situação de carga.

    Como esse resultado pode ser diferente para cada análise devido às diferentes situações de carga, presume-se que o comprimento de flambagem mais longo de todas as análises calculadas esteja no lado seguro para todas as situações de carga.

  • Resposta

    Sim, é possível importar os comprimentos de encurvadura calculados do RSBUCK para o KAPPA.

    Ir para a janela de módulo 1.4 Comprimento efetivo - Barras ou 1.5 Comprimento efetivo - Conjuntos de barras e clique na célula do comprimento efetivo K. De seguida, alguns botões tornam-se acessíveis. Você clica no último botão [...].

    Aparece uma caixa de diálogo onde pode importar para cada valor-K o fator efetivo fatora a partir do módulo adicional RSBUCK.

  • Resposta

    O RSBUCK utiliza uma representação momentânea da distribuição da força axial no respetivo estado de carga. As forças axiais são aumentadas iterativamente até ocorrer o caso de carga crítico. Na análise numérica, a carga de estabilidade é indicada pelo facto de o determinante da matriz de rigidez se tornar zero.

    Se o coeficiente do comprimento efetivo é conhecido, a carga de encurvadura e o modo de encurvadura são determinados com base nesta opção. Para a carga de encurvadura mais baixa, são determinados todos os comprimentos efetivos e efetivos comprimento.

    Exemplo: Coluna articulada com comprimento de 20 m, secção HE-B 500, carga própria

    Para o primeiro modo de encurvadura, obtém-se o coeficiente do comprimento efetivo de k cr, y = 2,92 para a encurvadura sobre o eixo principal. Para a encurvadura do eixo menor com uma carga de encurvadura de 651,3 kN obtém-se um coeficiente de comprimento efetivo de 1,00.

    Se define a expressão para determinar a carga de encurvadura N cr = π² * E * I / L cr² para L cr e aplica N cr = 651,3 kN e I y = 107.200 cm 4 , obtém-se o cr cr, y de 58,4 m , que resulta no fator de comprimento efetivo k cr, y de 2,92.

    No RSBUCK, existem dois fatores de comprimento efetivo determinados para cada modo de encurvadura e carga de encurvadura.

    De forma a obter o coeficiente do comprimento efetivo correto para a deflexão perpendicular ao eixo y (encurvadura em torno do eixo principal), é necessário calcular vários modos de encurvadura (formas de modo). O valor correto é exibido na janela 2.1. No exemplo, é o terceiro modo de encurvadura com uma carga de encurvadura de 5485,5 kN. Para esta carga, os comprimentos efetivos e os coeficientes de comprimento efetivo são determinados da seguinte forma: k cr, y = 1,0 e k cr, z = 0,345. 

    No caso de uma secção quadrática, dois comprimentos efetivos iguais resultam da mesma rigidez nas duas direções.

  • Resposta

    No RSBUCK e no RF-STABILITY, a carga crítica mais baixa é calculada primeiro. Isto é obtido, por exemplo, para um pilar articulado (modo de encurvadura de Euler 1, secção IPE) para a encurvadura sobre o eixo z. Com esta carga de encurvadura, o comprimento efetivo L cr, y é determinado a posteriori.

    De forma a obter os comprimentos efetivos corretos para L cr, y , é necessário considerar também o segundo modo de encurvadura (formato mode). Para isso, especifique pelo menos dois ou mais modos de encurvadura para o cálculo nos parâmetros de cálculo. No segundo modo de encurvadura, obtém-se uma carga de encurvadura mais alta (oscilação em torno do eixo y), a partir da qual obtém a carga de encurvadura correta L cr, y .

    Como apresentado no exemplo, o RSBUCK ou o RF-STABILITY requerem o cálculo de vários modos de encurvadura (formas de modo). Assim, pode obter resultados para as direções individuais (ver Figura).

  • Resposta

    Pode facilitar a entrada no Windows 1.4 a 1.13, se as barras e conjuntos de barras tiverem os mesmos parâmetros.

    Para tal, assinale a caixa de seleção "Definir entrada para barras No .:" na parte inferior da janela e selecione as barras relevantes com os mesmos parâmetros. Assim, os valores definidos subsequentemente referem-se automaticamente às barras/barras contínuas anteriormente selecionadas.

1 - 10 de 11

Contacto

Contacto da Dlubal

Encontrou a sua pergunta? Se não for o caso, entre em contacto connosco por e-mail, chat ou no fórum de discussão, ou então envie-nos a sua questão através do formulário online.

+49 9673 9203 0

(falamos português)

info@dlubal.com

Primeiros passos

first-steps

Aqui damos-lhe algumas dicas e informações úteis que o ajudam a familiarizar-se mais rapidamente com os programas principais RFEM e RSTAB.

Simulação de vento e geração de cargas de vento

O programa autónomo RWIND Simulation permite simular fluxos de vento em estruturas simples ou complexas através de um túnel de vento digital.

As cargas de vento geradas que atuam sobre esses objetos podem ser importadas para o RFEM ou o RSTAB.

O vosso apoio técnico é de longe o melhor

“Muito obrigado por toda a informação.

Gostaria de elogiar a equipa de apoio ao cliente. Fico sempre surpreendido com a rapidez e o profissionalismo com que as questões são respondidas. Na área da análise de estruturas, utilizo vários softwares inclusive com contratos de assistência, mas o vosso apoio técnico é de longe o melhor.”