Perguntas mais frequentes (FAQs)

Procurar pergunta




Apoio ao cliente a toda hora

Base de dados de conhecimento

Para além do serviço de apoio técnico (p. ex. via chat), pode encontrar na nossa página de Internet material de apoio que pode ser útil para os seus trabalhos com o software Dlubal.

Newsletter

Receba regularmente informação sobre novidades, dicas úteis, eventos planeados, ofertas especiais e vales.

  • Resposta

    A função de arrastar e largar é muito útil para trabalhar rapidamente no RSTAB e no RFEM. Para isso, esta opção deve estar ativada no menu de contexto (Figura 01).

    Se clicar numa barra ou linha próxima do nó inicial/final na janela de trabalho, poderá definir rapidamente o novo ponto de ligação graficamente.

    No entanto, se pegar uma barra ou uma linha pelo terço central, poderá simplesmente deslocar o elemento para uma nova posição.

    Se premir adicionalmente a tecla "Ctrl", os elementos marcados são copiados.

    O vídeo mostra, primeiro, como é que se desloca o ponto superior da barra 2 do nó 2 para o nó 4. Posteriormente, mostra como é que a barra 2 é deslocada para uma nova posição.

  • Resposta

    Ao imprimir um gráfico no relatório de impressão, é possível selecionar a posição da escala de cores no separador "Escala de cores". Além disso, também é possível ajustar o tamanho da escala de cores na mesma caixa de diálogo. Se estiver desativada, a caixa de verificação "Sem escala de cores" (Figura 1) é apresentada no gráfico do relatório de impressão. 

    Se o relatório de impressão já incluir um gráfico sem uma escala de cores, é possível apresentar a escala de cores posteriormente. Para fazer isso, clique com o botão direito do rato na imagem. Em seguida, selecione as propriedades no menu de contexto (Figura 2) para aceder ao separador "Escala de cores". Aqui também é possível editar a posição e o tamanho da escala de cores. 

  • Resposta

    Na caixa de diálogo Diagramas de resultados, pode criar zonas de suavização para preparar os resultados do ponto de vista da engenharia. Esta função está disponível através do botão "Editar zonas de suavização". A caixa de diálogo na Figura 1 é aberta.

    As zonas de suavização são definidas nas colunas da esquerda, sendo que as entradas para Início, Fim e Comprimento são interdependentes. Cada zona pode ser ativada separadamente. A secção "Utilizar para resultados" controla para quais deformações, forças internas, tensões ou distorções deve ser realizada uma suavização. A suavização pode ser constante ou linear para todas as zonas de suavização.

    Além disso, pode ser apresentada uma linha de suavização em todo o diagrama de resultados através do botão com o mesmo nome (Figura 2).

    A integral da zona de suavização é apresentada se a caixa de seleção "Com interpretação de resultados" estiver selecionada nas configurações dos diagramas de resultados (Figura 3).

  • Resposta

    Sim, é possível criar um ficheiro de vídeo no RWIND Simulation. Organize o gráfico no ecrã e selecione o menu "Ferramentas → Criar ficheiro de vídeo".

    Na caixa de diálogo "Criar ficheiro de vídeo" (Figura 1), pode definir o nome do ficheiro de vídeo numa caixa de diálogo separada utilizando o botão [Procurar]. É possível selecionar diferentes tipos de ficheiros de vídeo. Além disso, a qualidade e a frequência de gravação também podem ser ajustadas.

    Clique no botão [Iniciar] para iniciar a gravação e no botão [Parar] para a interromper.
  • Resposta

    O ponto de intersecção entre superfícies e linhas pode ser criado com a função "Unir linhas/barras". Para fazer isso, selecione a função "Unir linhas/barras" e desenhe uma janela sobre as barras a serem intersectadas (Figura 1). No ponto de intersecção é criado um nó. Isso também é demonstrado no vídeo.
  • Resposta

    O relatório de impressão não permite documentar listas de parâmetros nem fórmulas utilizadas.

    Contudo, a lista de parâmetros e as fórmulas podem ser exportadas para o Excel através da seleção do menu Ficheiro → Exportar. Para fazer isso, selecione as caixas de seleção correspondentes na secç."Fórmulas e parâmetros" da caixa de diálogo "Exportar tabelas para o Microsoft Excel – Configurações" (Figura 1).

    A exportação da lista de parâmetros e das fórmulas também está disponível na caixa de diálogo "Exportar tabela" (Figura 2), a qual pode ser aberta através do botão Excel na barra de ferramentas da respetiva tabela.

    As tabelas do Excel podem então ser adicionadas ao relatório de impressão como um bloco de texto, por exemplo. Isso é demonstrado no vídeo.

  • Resposta

    Pode definir as propriedades de visualização do contorno da secção na caixa de diálogo Propriedades de visualização (menu Opções → Propriedades de visualização → Editar). As configurações podem ser encontradas na categoria Cores → Outros → Contorno exterior da secção ou Cores → Outros → Contorno interior da secção (ver Figura 1). A cor, o tipo e a espessura da linha podem ser definidos separadamente para o ecrã e o relatório de impressão.

  • Resposta

    A descrição de combinações de carga diferentes não pode ser idêntica, caso contrário aparece a mensagem de erro apresentada na Figura 1. A combinação de cargas correspondente pode ser encontrada na mensagem de erro (na Figura 1, combinação de cargas n.º 2). 

    O modelo apresentado na Figura 2 contém a combinação de cargas CO1 e CO2. Ambas as combinações de carga têm a mesma descrição "ULS". É necessário alterar uma das duas descrições para que seja possível uma importação. 

  • Resposta

    A importação não é possível devido às imprecisões de modelagem, razão pela qual aparece a mensagem de erro apresentada na Figura 1. Por isso, a superfície 1 apresentada na Figura 2 não é absolutamente plana. A coordenada X dos nós 1–4 não é igual. Se esta imprecisão de modelagem for eliminada, a importação é possível.
  • Resposta

    Na caixa de diálogo "Editar apoio de nó", é possível rodar o sistema de eixos local do apoio (Figura 1). Primeiro, selecione a sequência que controla a sequência dos eixos de apoio locais X', Y' e Z' e depois especifique o ângulo de rotação em torno dos eixos globais X, Y e Z nas caixas de texto correspondentes.

    A rotação de apoio também pode ser determinada graficamente utilizando os botões correspondentes na caixa de diálogo. A rotação do apoio é apresentada dinamicamente no gráfico de diálogo.

    Após o cálculo, as reações do apoio de nó rodado podem ser avaliadas tanto para o sistema de eixos global como para o sistema de eixos local (Figura 2).

1 - 10 de 77

Contacto

Contacto da Dlubal

Encontrou a sua pergunta? Se não for o caso, entre em contacto connosco por e-mail, chat ou no fórum de discussão, ou então envie-nos a sua questão através do formulário online.

+49 9673 9203 0

(falamos português)

info@dlubal.com

Primeiros passos

first-steps

Aqui damos-lhe algumas dicas e informações úteis que o ajudam a familiarizar-se mais rapidamente com os programas principais RFEM e RSTAB.

Simulação de vento e geração de cargas de vento

O programa autónomo RWIND Simulation permite simular fluxos de vento em estruturas simples ou complexas através de um túnel de vento digital.

As cargas de vento geradas que atuam sobre esses objetos podem ser importadas para o RFEM ou o RSTAB.

O vosso apoio técnico é de longe o melhor

"“Obrigado pela informação valiosa.

Gostaria de elogiar a equipa de apoio ao cliente. Fico sempre surpreendido com a rapidez e o profissionalismo com que as questões são respondidas. Utilizei muito software com um contrato de apoio no domínio da análise estrutural, mas o seu apoio é de longe o melhor. "