Eurocódigos (EC)

Eurocódigos

Eurocódigos

Os Eurocódigos (EC) são um conjunto de normas técnicas para a uniformização do dimensionamento na construção civil dentro da União Europeia.

De momento existem 10 Eurocódigos (EC 0 até EC 9 nas normas EN 1990 até EN 1999). Estas têm repetivamente mais subdivisões. Os Eurocódigos são constituídos por um total de 58 normas parciais.

Além disso, existe para cada estado membro um anexo nacional (AN), no qual são definidos parâmetros nacionais como, por exemplo, coeficientes de segurança parciais.

Lista de Eurocódigos
  • Eurocódigo 0: Bases
  • Eurocódigo 1: Ações
  • Eurocódigo 2: Estruturas de betão
  • Eurocódigo 3: Estruturas de aço
  • Eurocódigo 4: Estruturas mistas
  • Eurocódigo 5: Estruturas de madeira
  • Eurocódigo 6: Estruturas de alvenaria
  • Eurocódigo 7: Projeto geotécnico
  • Eurocódigo 8: Ações sísmicas
  • Eurocódigo 9: Estruturas de alumínio

Newsletter

Subscreva e receba as mais recentes novidades, dicas úteis, informação sobre eventos, ofertas especiais e vales pelo menos uma vez por mês.

Planeamento contínuo com RSTAB e RFEM segundo Normas Europeias (EN)

Eurocódigos implementados

  1. EC 0: Combinações de carga geradas no RFEM

    Combinações segundo o Eurocódigo 0 (EC 0)

    Nos programas principais RFEM e RSTAB podem ser geradas combinações de cargas e de resultados segundo o Eurocódigo 0 (EN 1990) inclusive o anexo nacional de Portugal. Além disso, é possível determinar imperfeições no RFEM e no RSTAB em conformidade com o Eurocódigo. As ações são atribuídas a tipos de ações descritos na norma. De seguida, o RFEM e o RSTAB combinam os casos de carga em concordância com a situação de dimensionamento selecionada.


    Os seguintes anexos nacionais estão disponíveis:
    •  NP EN 1990:2009 (Portugal)
    •  NF EN 1990/NA:2005/12 (França)
    •  UNE EN 1990 2003 (Espanha)
    •  UNI EN 1990/NA:2007-07 (Itália)
    • Deutschland DIN EN 1990/NA:2009-05 (Alemanha)
    •  BS EN 1990/NA:2004-12 (Reino Unido)
    •  CSN EN 1990/NA:2004-03 (República Checa)
    •  DK EN 1990/NA:2007-07 (Dinamarca)
    • Ireland IS EN 1990:2002 + NA:2010 (Irlanda)
    •  MS EN 1990:2010 (Malásia)
    •  NBN EN 1990 – ANB: 2005 (Bélgica)
    •  NEN EN 1990/NA:2006 (Holanda)
    •  ÖNORM EN 1990:2007-02 (Áustria)
    •  PN EN 1990/NA:2004 (Polónia)
    •  SFS EN 1990/NA:2005 (Finlândia)
    •  SIST EN 1990: 2004/A1:2005 (Eslovénia)
    •  SS EN 1990:2008 (Singapura)
    •  SS EN 1990/ BFS 2010:28 (Suécia)
    •  STN EN 1990/NA:2009-08 (Eslováquia)
  2. EC 1: Gerador de neve no RFEM

    Ações segundo o Eurocódigo 1 (EC 1)

    No RFEM e no RSTAB existe uma opção para gerar cargas de vento e de neve. Para isso, não é necessário nenhum módulo adicional. Após a entrada dos parâmetros necessários como a zonas de carga de vento e de neve, a categoria de terreno, o tipo de topografia ou a geometria da cobertura, o programa cria o respetivo carregamento automaticamente.

  3. EC 2: Configuração para ''EC2 for RSTAB/RFEM''

    Projeto de estruturas de betão armado e pré-esforçado (EC 2)

    Com o módulo adicional EC2 for RFEM ou RSTAB existe a possibilidade de, nos módulos adicionais RF-/CONCRETE e RF-/CONCRETE Columns assim como RF-PUNCH dimensionar barras e pilares de betão armado e superfícies (RFEM) segundo o Eurocódigo. Além das verificações gerais dos estados limite último e de utilização, é possível efetuar verificações da estabilidade segundo o EC 2. Para pilares e barras podem ainda ser efetuadas verificações adicionais de proteção contra incêndio, de acordo com o Eurocódigo.


    Os seguintes anexos nacionais estão disponíveis:
    •  NP EN 1992-1-1/NA:2010-02 (Portugal)
    •  NF EN 1992-1-1/NA:2007-03 (França)
    •  UNE EN 1992-1-1/NA:2013 (Espanha)
    • UNI EN 1992-1-1/NA:2007-07 (Itália)
    • Deutschland DIN EN 1992-1-1/NA:2013-04 (Alemanha)
    •  NEN-EN 1992-1-1+C2:2011/NB:2011 (Holanda)
    •  CSN EN 1992-1-1/NA:2006-11 (República Checa)
    •  ÖNORM B 1992-1-1:2011-12 (Áustria)
    •  EN 1992-1-1 DK NA:2013 (Dinamarca)
    •  NS-EN 1992-1 -1_2004-NA_2008 (Noruega)
    •  SIST EN 1992-1-1:2005/A101:2006 (Eslovénia)
    •  STN EN 1992-1-1/NA:2008-06 (Eslováquia)
    •  SFS EN 1992-1-1/NA:2007-10 (Finlândia)
    •  NA to BS EN 1992-1-1:2004 (Reino Unido)
    •  SS EN 1992-1-1/NA:2008-06 (Singapura)
    • SS EN 1992-1-1/NA:2008 (Suécia)
    • PN EN 1992-1-1/NA:2010 (Polónia)
    • NBN EN 1992-1-1 ANB:2010 para dimensionamento a frio, EN 1992-1-2 ANB:2010 para dimensionamento a quente (Bélgica)
    • NA to CYS EN 1992-1-1:2004/NA:2009 (Chipre)
    • BDS EN 1992-1-1:2005/NA:2011 (Bulgária)
    • LST EN 1992-1-1:2005/NA:2011 (Lituânia)
    • SR EN 1992-1-1:2004/NA:2008 (Roménia)
    •  MS EN 1992-1-1:2010 (Malásia)
    • Lettland LVS EN 1992-1-1:2005/NA:2014 (Letónia)
    Betão pré-esforçado
    Os módulos adicionais RF-TENDON e RF-TENDON Design  para o RFEM definem elementos pré-esforçados para o dimensionamento de betão pré-esforçado com posterior aderência segundo o Eurocódigo 2 (EN 1992-1-1 para construções de betão e EN 1992-2 para pontes de betão).

    Fundações
    O módulo adicional RF-/FOUNDATION Pro efetua o dimensionamento de sapatas, fundações de encaixe e ensoleiramentos segundo as normas EN 1992-1-1 e EN 1997-1.

  4. EC 3: Parâmetros do anexo nacional no RF-/STEEL EC3

    Projeto de estruturas de aço (EC 3)

    RF-/STEEL EC3
    O módulo adicional RF-/STEEL EC3 efetua todas as verificações típicas para o estado limite último, a estabilidade, a deformação e a proteção contra incêndios, de acordo com o Eurocódigo 3. O módulo contém várias funções úteis, como p. ex. a classificação automática de secções, a optimização de secções ou a definição de apoios laterais intermédios. Para a verificação da proteção contra incêndios podem ser introduzidas camadas de pintura de proteção ou recobrimentos.


    Os seguintes anexos nacionais estão disponíveis:
    •  NP EN 1993-1-1/NA:2010-03 (Portugal)
    •  NF EN 1993-1-1/NA:2007-05 (França)
    •  UNE EN 1993-1-1/NA:2013-02 (Espanha)
    • Deutschland DIN EN 1993-1-1/NA:2010-12 (Alemanha) 
    •  UNI EN 1993-1-1/NA:2008 (Itália)
    •  ÖNORM B 1993-1-1:2007-02 (Áustria)
    •  NBN EN 1993-1-1/ANB:2010-12 (Bélgica)
    •  BDS EN 1993-1-1/NA:2008 (Bulgária)
    •  DK EN 1993-1-1/NA:2007-11 (Dinamarca)
    •  SFS EN 1993-1-1/NA:2005 (Finlândia)
    •  LST EN 1993-1-1/NA:2009-04 (Lituânia)
    •  MS EN 1993-1-1/NA:2010 (Malásia)
    •  NEN EN 1993-1-1/NA:2011-12 (Holanda)
    • Norway NS EN 1993-1-1/NA:2008-02 (Noruega)
    •  PN EN 1993-1-1/NA:2006-06 (Polónia)
    •  SR EN 1993-1-1/NB:2008-04 (Roménia)
    •  SS EN 1993-1-1/NA:2011-04 (Suécia)
    •  SS EN 1993-1-1/NA:2010 (Singapura)
    •  STN EN 1993-1-1/NA:2007-12 (Eslováquia)
    •  SIST EN 1993-1-1/A101:2006-03 (Eslovénia)
    •  CSN EN 1993-1-1/NA:2007-05 (República Checa)
    •  BS EN 1993-1-1/NA:2008-12 (Reino Unido)
    •  CYS EN 1993-1-1/NA:2009-03 (Chipre)

    Outros módulos adicionais
    Aqui pode encontrar mais módulos adicionais para o dimensionamento segundo a norma EN 1993 (EC 3):

    Mais sobre o RF-TENDON
    Mais sobre o RF-TENDON
  5. EC 5: Dados gerais no TIMBER Pro

    Projeto de estruturas de madeira (EC 5)

    RF-/TIMBER Pro
    O módulo adicional RF-/TIMBER Pro é usado para o dimensionamento de barras de madeira de acordo com o Eurocódigo 5. São possíveis as verificações de tensão, estabilidade, estado limite de utilização e proteção contra incêndio. Com os programas autónomos da família de RX-TIMBER, podem, em tabelas de entrada claras e bem organizadas, ser geradas asnas de cobertura de madeira laminada colada, vigas contínuas, pilares, madres e pórticos, que de seguida são dimensionados de acordo com o EC 5.


    Os seguintes anexos nacionais estão disponíveis:
    •  NF EN 1995-1-1/NA:2010-05 (França)
    •  UNE EN 1995-1-1 (Espanha)
    • Deutschland DIN EN 1995-1-1/NA:2013-08 (Alemanha)
    •  BS EN 1995-1-1/NA:2009-10 (Reino Unido)
    •  ÖNORM B 1995-1-1:2015-06 (Áustria)
    •  NBN EN 1995-1-1/ANB:2012-07 (Bélgica)
    •  BDS EN 1995-1-1/NA:2012-02 (Bulgária)
    •  CYS EN 1995-1-1/NA:2011-02 (Chipre)
    •  CSN EN 1995-1-1/NA:2007-09 (República Checa)
    •  DK EN 1995-1-1/NA:2011-12 (Dinamarca)
    •  SFS EN 1995-1-1/NA:2007-11 (Finlândia)
    •  UNI EN 1995-1-1/NA:2010-09 (Itália)
    •  I.S. EN 1995-1-1/NA:2010-03 (Irlanda)
    •  LVS EN 1995-1-1/NA:2012-05 (Letónia)
    •  LST EN 1995-1-1/NA:2011-10 (Lituânia)
    •  NEN EN 1995-1-1/NB:2007-11 (Holanda)
    •  NS EN 1995-1-1/NA:2010-05 (Noruega)
    •  PN EN 1995-1-1/NA:2010-09 (Polónia)
    •  SR EN 1995-1-1/NB:2008-03 (Roménia)
    •  STN EN 1995-1-1/NA:2008-12 (Eslováquia)
    •  SIST EN 1995-1-1/A101:2006-3 (Eslovénia)
    •  SS EN 1995-1-1 (Suécia)

    RF-LAMINATE
    Módulo adicional do RFEM para o dimensionamento de laminados multicamadas com verificações de tensões e deslocamentos.


    RX-TIMBER
    Programas autónomos para o dimensionamento de vigas laminadas coladas, vigas contínuas, pilares, madres, pórticos e contraventamentos segundo a norma EN 1995-1-1.

  6. EC 7: Tensões e assentamentos no RF-SOILIN

    Projeto geotécnico (EC 7)

    RF-/FOUNDATION Pro
    Módulo adicional para o dimensionamento de sapatas, fundações de encaixe e ensoleiramentos segundo as normas EN 1992-1-1 e EN 1997-1


    RF-SOILIN
    Para a determinação de fundações elásticas a partir de camadas de solos dadas segundo o Eurocódigo 7, pode ser utilizado o RF-SOILIN. Após a introdução de todos os parâmetros do solo, o programa determina os coeficientes de fundação elástica e representa os diagramas de tensões e assentamentos.

  7. EC 8: Antwortspektrum nach Eurocode 8 in DYNAM Pro - Ersatzlasten

    Erdbeben nach Eurocode 8 (EC 8)

    RF-/DYNAM Pro - Natural Vibrations e RF-/DYNAM Pro - Equivalent Loads
    O módulo adicional RF-DYNAM Pro - Natural Vibrations permite uma análise rápida e confortável de frequências naturais e formas próprias.

    No módulo adicional RF-DYNAM Pro - Equivalent Loads podem ser geradas cargas sísmicas equivalentes segundo uma análise de espectros de resposta multipontos de acordo com o Eurocódigo 8. Os espectros necessários podem ser criados de acordo com as normas ou definidos pelo utilizador. A partir desses espectros são geradas cargas estáticas equivalentes e é efetuada uma análise estática linear no RFEM/RSTAB.

  8. EC 9: Definição de apoios de nós para conjuntos de barras no ALUMINIUM

    Projeto de estruturas de alumínio (EC 9)

    RF-/ALUMINIUM Módulo adicional para o dimensionamento de barras e conjuntos de barras de alumínio com verificações do estado limite último, estado limite de utilização e de estabilidade.


    Os seguintes anexos nacionais estão disponíveis:
    • Deutschland DIN EN 1999-1-1/NA:2010-12 (Alemanha)
    •  ČSN EN 1999-1-1/NA:2009-02 (República Checa)
    •  DK EN 1999-1-1/NA:2007-11 (Dinamarca)
    • Ireland IS EN 1999-1-1/NA:2010-03 (Irlanda)
    •  STN EN 1999-1-1/NA:2010-01 (Eslováquia) 
    •  CYS EN 1999-1-1/NA:2009-07 (Chipre)
    •  UNI EN 1999-1-1/NA:2011-02 (Itália)
    •  NBN EN 1999-1-1/ANB:2011-03 (Bélgica)
    •  NEN EN 1999-1-1/NB:2011-12 (Holanda)
    •  BS EN 1999-1-1/NA:2009 (Reino Unido)
    • Sweden SS EN 1999-1-1/NA:2011-04 (Suécia)
    • Lithuania LST EN 1999-1-1/NA:2011-09 (Lituânia)

Contacto

Contacto da Dlubal

Tem alguma questão ou necessita de informação sobre as normas implementadas nos produtos Dlubal? Então entre em contacto com a nossa equipa de apoio técnico ou veja as as perguntas mais frequentes (FAQ).

+49 9673 9203 0

(falamos português)

info@dlubal.com

Melhor software para o dimensionamento segundo o Eurocódigo

“Decidimo-nos por utilizar o RFEM da Dlubal Software para o cálculo de estruturas em aço 3D após a análise de diferentes ofertas no mercado. É o software que parece ser o mais adequado para análises segundo as normas do Eurocódigo. Com o seu interface claro e intuitivo, os dados podem ser introduzidos de uma forma muito agradável e editados de forma suave e eficaz, evitando o efeito de uma "caixa negra".

O apoio técnico destaca-se pela sua elevada paciência e competência, respondendo de forma rápida, algo que que confirmou a nossa decisão a favor do RFEM. Os tutoriais, o blog e os manuais de utilizador detalhados permitem vastas opções para um estudo autodidacta assim como a contínua aprendizagem de novas funções. Outro aspeto positivo é a composição modular do software, o que permite aumentar a oferta com base no mesmo programa, poupando tempo na fase de aprendizagem. Mesmo se decidirmos amanhã por nos focar mais em estruturas em madeira, alumínio ou vidro, o cálculo não será um elemento de bloqueio.”

Projetos de clientes

customer-projects-de

Projetos interessantes dimensionados com o software da Dlubal.