Base de Dados de Conhecimento

Procurar





Porquê o software da Dlubal?

Soluções

  • Mais de 25 000 utilizadores em 71 países
  • Um pacote de programas para todas as áreas de aplicação
  • Aprendizagem curta e manuseamento intuitivo
  • Apoio técnico de engenheiros com experiência
  • Excelente relação preço/qualidade
  • Conceito de software em módulos com possibilidade de adquirir extensões
  • Sistema de licenças por escalas com licenças individuais e em rede
  • Software com provas dadas em muitos projetos de referência

Newsletter

Receba regularmente informação sobre novidades, dicas úteis, eventos planeados, ofertas especiais e vales.

  1. Sistema estrutural e dimensão da secção de acordo com [1]

    Modelação de uma viga mista semi-rígida de madeira como modelo de superfície

    Existem diversas opções para calcular uma viga mista semi-rígida. Estas diferem principalmente no tipo de modelação. Enquanto que o método Gamma assegura uma modelação simples, são necessários esforços adicionais quando utiliza outros métodos (por exemplo, analogia de corte) para a modelação que são, contudo, compensados por uma aplicação muito mais flexível quando comparada com o método Gamma.
  2. Figura 01 - Configuração: Direção da armadura com a força de tração principal no elemento considerado

    Armadura secundária de acordo com a norma DIN EN 1992-1-1 9.2.1 para assegurar Comportamento Estrutural Dúctil do Componente

    A armadura secundária de acordo com a norma DIN 1992-1-1 9.2.1 é utilizada para assegurar o comportamento estrutural desejado. Deve evitar a ruptura sem qualquer aviso. A armadura mínima tem de ser disposta independentemente do tamanho do carregamento atual.
  3. Figura 01 - Criação da viga resultante

    Determinação do esforço de corte transversal com cargas sísmicas

    No RF-/DYNAM Pro - Equivalent Loads é possível calcular as cargas sísmicas equivalentes de acordo com diferentes normas. Com o cálculo das cargas equivalentes para cada valor próprio não é diretamente possível obter o esforço de corte horizontal para cada piso, que é necessário para a posterior análise. O seguinte exemplo descreve uma opção para calcular o esforço de corte horizontal de forma rápida e eficaz.
  4. Figura 01 - Gerar cargas de vento

    Consideração da correlação com cargas de vento

    Se a carga de vento for determinada para edifícios ou estruturas com assunção em simultâneo de pressão aerodinâmica e coeficientes de sucção a barlavento e sotavento, então a correlação da pressão do vento pode ser considerada nas zonas D e E das superfícies das paredes.
  5. Imagem 01 - Integrar Dlubal RFEM Type Library

    Interface COM em VBA | 5. Criação de uma ferramenta para copiar e deslocar linhas auxiliares

    RF-COM/RS-COM é uma interface programável, através da qual o RFEM/RSTAB pode ser adaptado às necessidades dos utilizadores, acrescentando macros de entrada e programas de pós-processamento personalizados. Neste artigo é desenvolvida uma ferramenta para copiar e deslocar de linhas auxiliares selecionadas no RFEM. As linhas auxiliares selecionadas podem também ser copiadas ou deslocadas para outro plano de trabalho. Como ambiente de programação é utilizado o VBA in Excel.
  6. Figura 01 - Sistema e carregamento

    Modelação e dimensionamento de uma ligação de chapa de extremidade articulada

    Para a verificação de ligações de chapas de extremidade articuladas, o RFEM oferece as seguintes opções. Primeiro, existe a possibilidade no RF-JOINTS Steel - Pinned de uma rápida e simples entrada dos respetivos parâmetros, para obter de seguida uma análise documentada com gráfico. Em alternativa, é possível modelar uma ligação deste tipo de forma individual e interpretar e verificar os respetivos resultados manualmente. No seguinte exemplo são explicadas as particularidades deste tipo de modelação e os esforços de corte dos parafusos são comparados com os respetivos resultados no módulo RF-JOINTS Steel - Pinned.
  7. Imagem 01 - Modelo da estrutura de casca em aço

    Verificação da encurvadura local de estruturas em casca de aço através do conceito MNA/LBA

    A encurvadura em estruturas em casca é considerada o problema de estabilidade mais recente e menos explorado da engenharia estrutural.
    Isto deve-se não à falta de atividades de pesquisa mas devido à sua complexidade teórica. Com a introdução e o desenvolvimento do método de elementos finitos na prática da engenharia estrutural, alguns engenheiros não tem de lidar com a complicada teoria da encurvadura de estruturas em casca.
    A evidência dos problemas e erros a que isto dá origem está muito bem resumida em [1].

  8. Figura 01 - Abrir administrador de blocos com elementos de catálogo

    Modelação de um mastro com o administrador de blocos

    As torres trianguladas fazem parte das construções em aço correntes. Exemplos desse tipo especial de estrutura porticada são mastros de antenas e linhas de alta tensão ou pilares para sistemas de geração eólicas, funiculares e estruturas de andaimes. A modelação pode ser realizada individualmente no RFEM e no RSTAB através da entrada dos diferentes elementos dos mastros. Para tal, estão disponíveis várias funções de cópia e possibilidade de entrada paramétrica. No entanto, este procedimento requer um esforço considerável. A modelação torna-se mais confortável através da utilização de elementos pré-fabricados e catálogos do chamado administrador de blocos, que estão automaticamente disponíveis após a instalação do programa. Assim, é possível selecionar ligações de mastros, plataformas, suportes de antena, condutas de cabos e muitos mais, em forma de elementos parametrizados para a posterior criação de diferentes estruturas de mastros.

  9. Figura 01 - Sistema

    Tubos com cargas de pressão interna

    Os sistemas de canalização estão expostos a vários tipos de cargas. A pressão interna é uma das cargas mais determinantes. Este artigo descreve as tensões e as deformações resultantes de um carregamento de pressão interna puro nas paredes dos tubos e nos próprios tubos.

  10. Figura 01- Sistema

    Encurvadura por flexão-torção de uma viga principal com secção em I de acrodo com a EN 1993-1-1

    Este exemplo está descrito na literatura técnica [1] como Exemplo 9.5 assim como em [2] como Exemplo 8.5. Para a viga principal do palco em estudo é necessário efetuar a verificação da encurvadura por flexão-torção. Trata-se de um elemento estrutural uniforme. A verificação da estabilidade pode, por isso, ser realizada segundo o Secção 6.3.3 da DIN EN 1993-1-1: Devido à flexão ser simples, seria também possível fazer a verificação através do método geral de acordo com a Secção 6.3.4. Adicionalmente, a determinação do momento Mcr deve ser validada num modelo de barras idealizado com um modelo de MEF, no âmbito do método mencionado em cima.

1 - 10 de 175

Contacto

Contacto da Dlubal

Tem alguma questão ou necessita de ajuda? Então entre em contacto connosco ou consulte as perguntas mais frequentes (FAQ).

+49 9673 9203 0

(falamos português)

info@dlubal.com

Primeiros passos

first-steps

Aqui damos-lhe algumas dicas e informações úteis que o ajudam a familiarizar-se mais rapidamente com os programas principais RFEM e RSTAB.

Software de alto rendimento e variável

“Acho que o software é tão poderoso e capaz, que as pessoas valorização verdadeiramente as suas capacidades após uma introdução apropriada.”