Módulo adicional RF-/STEEL EC3 do RFEM/RSTAB

Vídeo: Como funciona o software da Dlubal para a análise e o dimensionamento de estruturas em aço?

Seminário web da Dlubal: Análise de estruturas em aço

Newsletter

Subscreva e receba as mais recentes novidades, dicas úteis, informação sobre eventos, ofertas especiais e vales pelo menos uma vez por mês.

Melhor software para o dimensionamento segundo o Eurocódigo

“Decidimo-nos por utilizar o RFEM da Dlubal Software para o cálculo de estruturas em aço 3D após a análise de diferentes ofertas no mercado. É o software que parece ser o mais adequado para análises segundo as normas do Eurocódigo. Com o seu interface claro e intuitivo, os dados podem ser introduzidos de uma forma muito agradável e editados de forma suave e eficaz, evitando o efeito de uma "caixa negra".

O apoio técnico destaca-se pela sua elevada paciência e competência, respondendo de forma rápida, algo que que confirmou a nossa decisão a favor do RFEM. Os tutoriais, o blog e os manuais de utilizador detalhados permitem vastas opções para um estudo autodidacta assim como a contínua aprendizagem de novas funções. Outro aspeto positivo é a composição modular do software, o que permite aumentar a oferta com base no mesmo programa, poupando tempo na fase de aprendizagem. Mesmo se decidirmos amanhã por nos focar mais em estruturas em madeira, alumínio ou vidro, o cálculo não será um elemento de bloqueio.”

Dimensionamento de barras de aço segundo o Eurocódigo 3

O RF-/STEEL EC3 efetua as verificações típicas do estado limite último, da estabilidade, da deformação e da resistência ao fogo para barras, de acordo com:

  • European Union EN 1993-1-1:2005 + AC:2009
  • European Union EN 1993-1-2:2006 + AC:2005 (resistência ao fogo)
  • European Union EN 1993-1-4:2006 (aço inoxidável)
  • European Union EN 1993-1-5:2006

  1. Funções do programa

    • Importação de materiais, secções transversais e esforços internos do RFEM/RSTAB
    • Dimensionamento em aço de secções de parede fina segundo as normas EN 1993‑1‑1:2005 e EN 1993‑1‑5:2006
    • Classificação automática das secções segundo EN 1993-1-1:2005 + AC:2009 , parágrafo 5.5.2 e EN 1993-1-5:2006 , parágrafo 4.4 (classe 4 da secção) com a opção de determinar as larguras efetivas de acordo com o Anexo E para as tensões sobre fy
    • Integração de parâmetros de anexos nacionais para os seguintes países:
      •  NP EN 1993-1-1/NA:2010-03 (Portugal)
      •  NF EN 1993-1-1/NA:2007-05 (França)
      •  UNE EN 1993-1-1/NA:2013-02 (Espanha)
      • Deutschland DIN EN 1993-1-1/NA:2015‑08 (Alemanha) 
      •  ÖNORM B 1993-1-1:2007-02 (Áustria)
      •  NBN EN 1993-1-1/ANB:2010-12 (Bélgica)
      •  BDS EN 1993-1-1/NA:2008 (Bulgária)
      •  DS/EN 1993-1-1 DK NA:2015 (Dinamarca)
      •  SFS EN 1993-1-1/NA:2005 (Finlândia)
      •  UNI EN 1993-1-1/NA:2008 (Itália)
      •  LST EN 1993-1-1/NA:2009-04 (Lituânia)
      •  MS EN 1993-1-1/NA:2010 (Malásia)
      •  NEN EN 1993-1-1/NA:2011-12 (Holanda)
      • Norway NS EN 1993-1-1/NA:2008-02 (Noruega)
      •  PN EN 1993-1-1/NA:2006-06 (Polónia)
      •  SR EN 1993-1-1/NB:2008-04 (Roménia)
      •  SS EN 1993-1-1/NA:2011-04 (Suécia)
      •  SS EN 1993-1-1/NA:2010 (Singapura)
      •  STN EN 1993-1-1/NA:2007-12 (Eslováquia)
      •  SIST EN 1993-1-1/A101:2006-03 (Eslovénia)
      •  CSN EN 1993-1-1/NA:2007-05 (República Checa)
      •  BS EN 1993-1-1/NA:2008-12 (Reino Unido)
      •  CYS EN 1993-1-1/NA:2009-03 (Chipre)
    Além dos anexos nacionais listados acima, é possível criar anexos próprios com parâmetros definidos pelo utilizador.
    • Cálculo automático de todos os coeficientes necessários para o valor de cálculo da resistência à encurvadura por flexão Nb,Rd
    • Determinação automática do momento elástico crítico ideal Mcr para cada barra ou conjunto de barras em todas as posições x de acordo com o método dos valores próprios ou por comparação dos diagramas de momentos. Da parte do utilizador, só é necessário definir os apoios laterais intermédios.
    • Dimensionamento de barras de secção variável, secção assimétrica ou de conjuntos de barras pelo método geral segundo EN 1993-1-1, 6.3.4
    • Quando aplicado o método geral segundo 6.3.4, opcionalmente pode ser aplicada a 'curva de encurvadura por flexão torção europeia' segundo Naumer, Strohmann, Ungermann, Sedlacek (Stahlbau 77 (2008), S. 748-761)
    • Consideração da restrição à rotação (p. ex. através de chapas perfiladas e madres)
    • Consideração opcional de painéis de corte (por exemplo de chapas perfiladas e contraventamentos)
    • Extensão de módulo RF-/STEEL Warping Torsion (é necessário uma licença) para a análises de estabilidade de acordo com a teoria de segunda ordem como verificação de tensões inclusive consideração de 7 graus de liberdade (empenamento)
    • Extensão de módulo RF-/STEEL Plasticity (é necessário uma licença) para análises plásticas de secções de acordo com o método dos esforços internos parciais (PIFM) e o método Simplex para secções gerais (em conjunto com a extensão de módulo RF-/STEEL Warping Torsion é possível efetuar o dimensionamento plástico de acordo com uma análise de segunda ordem) 
    • Dimensionamento de estado limite último: opção para selecionar entre situação de dimensionamento fundamental e acidental para cada caso de carga, combinação de cargas ou combinação de resultados
    • Dimensionamento do estado limite de utilização: opção para selecionar entre situação de dimensionamento frequente, quase-permanente ou característica para cada caso de carga, combinação de cargas ou combinação de resultados
    • Possibilidade de efetuar verificações à tração com superfícies líquidas definíveis para o início e o fim de barras
    • Verificação de secções soldadas
    • Cálculo opcional de áreas de empenamento para apoios de nós em conjuntos de barras
    • Gráfico das relações de cálculo na secção e no modelo RFEM/RSTAB
    • Apresentação dos esforços internos determinantes
    • Opções de filtragem para resultados gráficos no RFEM/RSTAB
    • Representação da relações de cálculo e classes de secções
    • Escalas de cores nas tabelas de resultados
    • Modo de visualização para alteração da vista na janela de trabalho
    • Otimização automática das secções
    • Transferência das secções otimizadas para o RFEM/RSTAB
    • Lista de peças para determinação das massas
    • Exportação direta de dados para MS Excel ou OpenOffice.org Calc
    • Relatório de impressão preparado para os engenheiro de obra
    • Curva de temperatura pode ser introduzida no relatório
  2. Seleção de secções para o dimensionamento

    Entrada de dados

    As secções definidas no RFEM/RSTAB são automaticamente importadas pelo módulo. O dimensionamento em RF-/STEEL EC3 pode ser efetuado para secções de parede fina. O programa determina qual o método de dimensionamento mais eficiente em conformidade com a norma.

    O RF-/STEEL EC3 pode ter em consideração diversas ações para a verificação do estado limite último. O utilizador pode escolher entre as fórmulas de interação mencionadas na norma. 

    De acordo com o Eurocódigo 3, o programa divide as secções que quer verificar em classes de 1 a 4. Desta forma, o módulo pode determinar a limitação da capacidade de resistência e rotação devido a encurvadura local para partes da secção. Além disso, RF-STEEL EC3 determina a razão (c/t) dos elementos de secção sujeitos a compressão. O módulo classifica as secções de forma completamente automática. 

    Nas análises de estabilidade, pode decidir para cada barra ou conjunto de barras, se ocorre a possibilidade de encurvadura por flexão na direção y e/ou z. Além disso, podem definir apoios laterais adicionais. RF-/STEEL EC3 determina automaticamente a esbelteza e carga de envurvadura elástica crítica a partir das condições de fronteira. Para a verificação da encurvadura lateral por flexão-torção, o programa define também automaticamente o momento elástico crítico ideal necessário, o qual também pode ser definido manualmente. Mesmo o ponto de aplicação da carga de cargas transversais, o qual influencia a resistência à torção, pode ser considerado através da configuração nos detalhes. Além disso, podem ter em consideração as restrições à rotação (p. ex. chapas trapezoidais e madres). 

    Na construção moderna, com secções transversais cada vez mais esbeltas, o estado limite de utilização representa um fator importante no cálculo estrutural. Para tal, no RF-/STEEL EC3 é possível atribuir individualmente casos de carga, combinações de cargas e combinações de resultados às diferentes situações de dimensionamento. Os correspondentes valores limite estão pré-definidos no Anexo Nacional, mas podem sempre ser alterados. O módulo permite definir comprimentos de referência e contra-flechas e considerá-las na verificação.

  3. Representação gráfica de forma própria de conjunto de barras

    Dimensionamento

    Ao dimensionar cargas devido a tração, compressão, flexão e corte, o RF-/STEEL EC3 compara os valores de cálculo da capacidade de carga máxima com os valores de cálculo das ações. 

    No caso de componentes estruturais serem submetidos simultaneamente à flexão e à compressão, é efetuada uma interação. Com respeito à fórmula de interação, RF-/STEEL EC3 permite a determinação dos coeficientes de acordo com o primeiro método (anexo A) ou o segundo método (anexo B).

    Para a verificação da encurvadura por flexão não é necessária a entrada do grau de esbelteza nem da carga de encurvadura crítica elástica do caso de encurvadura determinante devem ser introduzidos. O módulo calcula automaticamente os coeficientes necessários para o valor de cálculo da carga de flexão. O momento elástico crítico ideal é determinado pelo programa para cada barra em todas as posições x da secção. O utilizador só necessita de introduzir os dados dos apoios laterais intermédios, se necessário, para as barras/conjuntos de barras individuais que podem ser definidos numa das janelas de entrada.

    Se forem selecionadas barras para o dimensionamento da proteção contra incêndio, é representada uma janela de entrada extra, na qual pode definir parâmetros adicionais, tais como tipos de revestimento ou recobrimento. Como configurações globais, podem ser definidos o tempo de duração da resistência ao fogo assim como a curva de temperatura e outros coeficientes. No relatório de impressão são listadas em tabelas os resultados intermédios e o resultado final da verificação da resistência ao fogo.

  4. Avaliação gráfica de resultados

    Resultados

    Os resultados são apresentados em janelas de saída bem organizadas, ordenados por casos de carga, secções, barras, conjuntos de barras ou posições x. Para obter informação detalhada sobre as verificações realizadas, selecione a linha da tabela correspondente.

    Todas as propriedades de material e secção, esforços internos de cálculo e os coeficientes de verificação são representados claramente em janelas de resultados. Além disso, é possível visualizar graficamente a distribuição de esforços internos em todas as posições x numa janela separada.

    Para completar a saída de dados, o RF-/STEEL EC3 mostra a lista de partes por barras/conjuntos de barras para os tipos de secção individuais. Finalmente, para impressão dos dados de entrada e resultados, tem à disposição o relatório de impressão global do RFEM/RSTAB.

    Para usar os resultados posteriormente em outros programas, pode exportar todas as tabelas para o MS-Excel ou OpenOffice.org Calc.

Contacto

Contacto da Dlubal

Tem alguma questão sobre os nossos produtos ou necessita de ajuda para a escolha dos produtos para o seu trabalho? Entre em contacto connosco ou consulte as perguntas mais frequentes (FAQ).

+49 9673 9203 0

(falamos português)

info@dlubal.com

Projetos de clientes

customer-projects-de

Projetos interessantes dimensionados com o software da Dlubal.

PREÇO para o RFEM (líquido)

  • RF-STEEL EC3 5.xx

    1.480,00 USD

  • Licença adicional

    666,00 USD

PREÇO para o RSTAB (líquido)

  • STEEL EC3 8.xx

    1.480,00 USD

  • Licença adicional

    666,00 USD